Adeus

          Queria deixar apenas um desabafo hoje: Lembram da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro? Aquela que deveria oferecer tratamento ao meu pai, através do Hospital que ele pagou uma vida inteira, mas negligenciou até o último instante?! Pois é, ontem ofereceram salva de tiros e honras militares no sepultamento dele. Ligaram várias vezes, para dizer que ele foi importante a corporação.

            Uma pena que a munição seria festim, do contrário, poderiam dividir as armas e virá-las parte para o gabinete do Governador Sérgio Cabral, que visitou hospitais no início do governo, para não tomar nenhuma providência e a outra parte para o Gabinete do Comandante Geral Gilson Pitta, que deveria tratar dos interesses dos seus servidores, mas que também não está nem aí, já que um oficial deste escalão não entra na vergonhosa fila de espera do Hospital Central da PM, no Estácio/RJ. Ver os dois fuzilados, sim seria um grande prazer para nós da família e um favor para os outros que continuam sendo mal tratados pela instituição.

            Senhores, gostaria de ter visto meu pai ter tido a honra de ser bem tratado pela pátria que ele serviu uma vida inteira. Tiros para o alto e toque de corneta, não aliviam o descaso e a minha vergonha em particular de ser brasileira.

            Pai, fiz tua vontade, não permiti que os abutres segurassem a alça do seu caixão. Descanse em paz!

 Pai

Deixe um comentário

Arquivado em Cotidiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s