Arquivo do dia: outubro 3, 2009

Digerindo as Olimpíadas

O dia ontem amanheceu com a consolidação do Rio de Janeiro, como sede das Olimpíadas de 2016: praia de Copacabana lotada, delegação brasileira em Compenhagen (Dinamarca) chorando de alegria, a imprensa com holofotes já acesos… Tudo em função da decisão anunciada do COI.

O caso é que o sonho olímpico, como tudo neste país, vai acabar virando pesadelo tributário para os mesmos pobres que hoje comemoram nas areias da praia. Pela proposta brasileira, o governo federal vai arcar com boa parte dos quase 30 bilhões de reais do orçamento previsto para os Jogos no Rio. Alguém tem dúvida que virá “taxa extra do condomínio”?!

Sim. Porque eles vão continuar nos roubando como de costume, mas agora, o município, o estado e o governo federal estão juntos, remando na mesma direção, ou seja, de procurar mais alguma brecha para desviarem milhões e pendurarem na conta da nação.

A primeira providência para isso, será dizer que os cofres estão vazios e eles têm prazos… Podem esperar!

Só fazendo uma rápida retrospectiva, no Pan fizeram essa mesma festa, em prol do esporte e integração social e o que vimos na cidade?  Um desperdício violento de dinheiro, para a compra de uma manada de Elefantes Brancos, que em nada engrandeceram o povo. Um exemplo clássico foram os mais de R$ 80 milhões gastos na construção do Parque Aquático Maria Lenk, que foi, sim, subutilizado, mesmo o “Diário do Rio” jogando confete, para uma possível realização do show de final de ano do Roberto Carlos no local. A finalidade do parque não era só entretenimento, e há quanto tempo mesmo a instalação ficará lá jogada as moscas até o dia da apresentação?!

Agora, esse rio de dinheiro, serviu para um Pan Americano, imaginem para as Olimpíadas que tem a proporção infinitamente maior, qual será a conta?

Alguns economistas dizem por aí que os novos investimentos vão gerar retorno direto e indireto que fará com que em alguns anos, haja o retorno para os cofres públicos de 97% do dinheiro investido. É. Até acreditaria. Se não conhecesse de perto os problemas do Rio, que são de igual tamanho a sua beleza natural e os políticos que governam esse país através da lei “Farinha pouca, meu pirão primeiro”.

Olimpíadas por aqui não será sinônimo de pódio social, não temos estrutura pra isso. E salve-se quem puder!

7 Comentários

Arquivado em Política interna