Arquivo do mês: dezembro 2010

Adeus, FefeFonfon II

Dizem os jornais que a ação das forças de segurança nos complexos do Alemão e da Penha trouxe alívio aos cariocas, que além da sensação de paz, tiveram  o número de roubos de veículos diminuídos em 63% neste período.

Bom, a estatística fala em roubo. Talvez não tenha averiguado o caso de furtos e, por isso, faltem ações nesse sentido. Simplesmente, eu que sempre vou na contramão das estatísticas, acabo de ter o meu carro furtado, bem na Urca (o m² mais caro do Rio de Janeiro).

Sim. Tenho certeza que foi furto. Liguei mais de 15 vezes para o pátio da prefeitura nas últimas 24 horas, porque nesse momento, ter sido vítima do Choque de Ordem do Eduardo Paes, ainda é menos pior que ser vítima de 500 anos de abandono do Brasil.

Sim. Liguei imediatamente para o 190. Também prestei queixa na delegacia.

Sim. Fiz estardalhaço na imprensa. Chamei os colegas do rádio, pedi para que dessem a placa de hora em hora.

Sim. Falei no Twitter, Facebook, Orkut, estou divulgando nos dois blogs (coisa que não fazemos habitualmente). Divulguei o que pude.

Não. Não tinha seguro. A tranca que tinha pelo visto não funcionou.

Sim. Estou desesperada. Fui parar no hospital com crise de pressão alta, fiz um quadro de isquemia, quase morri, embora…

Sim. Esteja dando graças a Deus porque vão os anéis e ficam os dedos e eu não morri nas mãos de um bandido sanguinolento que queria meu carro a qualquer preço.

Mas ainda assim dói. Tive um carro financiado em 60 meses. Por cinco anos ele foi meu companheiro de baladas, de supermercados. Eu suei, chorei para ter um único patrimônio que, infelizmente não estava na estatística de segurança desse governo de merda que a Globo insiste em enaltecer. Desculpe os mais crédulos, mas eu acredito no que vejo. E não vejo segurança no subúrbio, na Penha, tampouco na Zona Sul, onde um carro é furtado com uma cabine da PM, que nunca vê nada, em frente.

4 Comentários

Arquivado em Cotidiano, Descaso