Fim do Osama, não da Al-Qaeda

Ontem fui tomar uma água de coco na praia e quando volto, encontro na TV uma multidão em frente à Casa Branca e pela Times Square. Final de um campeonato? Não. Osama Bin Laden foi morto com um tiro na cabeça. A maior potência bélica mundial tardou 10 anos, mas não falhou na busca do seu algoz.

Deixando de lado o humor negro de pensar que o George W.Bush deve estar Fê da Vida porque tentou, tentou e Obama agora é quem faz o discurso retumbante para todo o planeta (diga-se de passagem, em um momento crucial onde a aceitação do seu governo estava em baixa entre os norte americanos), é uma situação de se dar medo:

Mais uma vez os Estados Unidos da América mostra suas armas na ingerência do rumo de outros povos. Não que a Al Qaeda seja santa. Ao contrário. O próprio Bin Laden, não deve ser recebido por Alah com suas 12 virgens, simplesmente porque também ele teve ações duvidosas e de matança de outros muçulmanos, inclusive, em vários episódios da sua vida. Coisa que o Alcorão não admitiria. Entretanto, uma guerra não se começa a toa. Ninguém simplesmente acorda de manhã pensando: Farei um ataque terrorista em tal lugar. A menos que seja um doente mental, como o atirador de Realengo, o que definitivamente (e Historicamente) não era o caso do Bin Laden.

Essa morte, na minha opinião, soa como: “Não há tapete onde você possa se esconder em baixo. Cedo ou tarde a gente te encontra” ou então, “nossas armas estão apontadas para sua cabeça. Obedeçam e cuidem-se”

E não é só essa guerra velada, essa imposição constante de terror (ou vão dizer que essa política do medo também não é um ato terrorista?!) dos EUA contra o resto do planeta que me amedronta. Apesar dos gritos emocionados da multidão, o fim do Osama, não quer dizer absolutamente o término dos extremistas ou da represaria terrorista. Talvez até se calem por um tempo. Claro que não é só quando desabam torres que a comoção ocorre, do outro lado também existem humanos e suas razões, por mais bizarras que apareçam. O que não quer dizer que ficarão mudos pra sempre. Que o mundo esteja preparado para o que virá.

Portanto, não estamos mais na Idade Média, e temos muitas vidas a perder. Quem sabe até a minha ou a sua? Não vamos urrar a morte de ninguém na arena. Osama Bin Laden morto é motivo de silêncio e reflexão. Ou como diria os bons cristãos: Orar e vigiar!

4 Comentários

Arquivado em Uncategorized

4 Respostas para “Fim do Osama, não da Al-Qaeda

  1. FALOU TUDO: “Portanto, não estamos mais na Idade Média, e temos muitas vidas a perder. Quem sabe até a minha ou a sua? Não vamos urrar a morte de ninguém na arena. Osama Bin Laden morto é motivo de silêncio e reflexão. Ou como diria os bons cristãos: Orar e vigiar!”

  2. Ma

    Muito bom, o que aliás, não é novidade! Cidem-se , coudemo-nos nós: o apocalipse, está mais próximo do que podemos imaginar…

  3. A politica imperialista de opressão dos EUA produz,Hitler, Fidel,Saddam, Osama…
    Todo mocinho precisa de um bandido pra se consagrar!

  4. Guto

    Logo, logo, vai ter gente dizendo .. “Osama não morreu” .. o que alias não esta longe de acontecer .. chega a notícia da morte do cara, colocam umas fotos na imprensa, que a meu ver não convencem, cadê o corpo do Osama, a unica coisa que ficou clara, foi a força que o Obama ganhou para a sua reeleição .. e eu me pergunto .. que serviço de inteligência de merda é esse que levou dez anos pra descobrir o cara .. sei não minha amiga .. estou tal qual São Thomé .. só vendo pra crer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s