Planeta dos Macacos – A Origem

Acho que essa foi a estreia que mais deixei pra depois. Talvez não tivesse nem visto, se minha amiga Pitanga (ou o querubim dos Pampas) não tivesse elogiado tanto aqui. O motivo é muito simples: o longa é oficialmente uma referência da famosa série Planeta dos Macacos, que depois virou não apenas série de TV,  mas já teve uma infeliz aparição na telona (2001), que não só foi trágica como ainda rendeu a carreira de Tim Burton uma mancha pesada.

Grata surpresa! O diretor inglês Rupert Wyatt (muito prazer, não te conhecia antes) conduziu com precisão e eficiência a historinha batida. Aliás, o roteiro também é muito inteligente e vai justificando as ações e atitudes dos personagens, para não transformar tudo em uma guerrinha de primatas mais ou menos desenvolvidos.

A trama mostra um laboratório que faz experiências com macacos (claro). A grande experiência trancada a sete chaves é a cura para o Alzheimer. Por uma série de coincidências a droga cria uma geração de macacos chamados de Olhos Brilhantes. Na verdade, o que acontece é que sem querer, uma das cobaias tem um filhote, que traz consigo o DNA transformado pela droga. Depois que a “mãe macaca” provoca uma confusão no laboratório levando o projeto a ser cancelado, o cientista adota o macaquinho e começa o analisar de casa. A tal experiência faz com que o processo de pensamento e reflexão do primata seja apressado fazendo crescer novas células. Enquanto o macaco vai crescendo, o pesquisador experimenta com seu próprio pai, que sofre de Alzheimer, os efeitos nos humanos e até consegue bons resultados, mas que são passageiros.

Aliás, essa questão com humanos deixa porta aberta para uma próxima edição, que se comparado a primeira, vai dar um banho em muito blockbuster dessa geração.

Em relação ao elenco, o verdadeiro astro do filme é esse macaco geneticamente modificado, chamado Cesar. Enquanto nos filmes anteriores, os animais eram apenas atores vestindo roupas e maquiagem de macacos, neste longa encontramos incríveis efeitos digitais, captação no estilo de Avatar (já contei que assisti esse filme 2 vezes no cinema e outras 30 vezes em casa? Já deu pra entender porque fiquei hipnotizada, né?). Cesar, é na verdade, o famoso Andy Serkis, (O Senhor dos Anéis) quer serviu de modelo para a captação de detalhes.

Simplesmente, vale a pena conferir!

1 comentário

Arquivado em Entretenimento

Uma resposta para “Planeta dos Macacos – A Origem

  1. Hum… gostou, né?

    Beijos do querubim dos pampas. rs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s