Proclamação de Onde?

Vocês podem achar que estou com recalque pelo meu “feriadão perdido”. Qual é, gente? A única coisa boa que existe mesmo no dia 15 de novembro é nossa possibilidade de ficar em casa. E estar em casa, mesmo tendo a praia perdida, é sempre melhor do que ir trabalhar. Sou tão preguiçosa, digo, brasileira quanto vocês.

O caso é que República tem sua essência a eleição de um chefe de estado através do voto livre e secreto. E este(s) mandatário(s) vão governar em prol do povo. E isso acontece por aqui? Desde quando?

A grande maioria dos nossos votos é de cabresto. O coroné manda e a plebe obedece pra ganhar dentadura, quando o acesso à saúde já deveria estar garantindo, conforme diretrizes republicanas.

E quem não vota por benefício, está preso ao eterno discurso: “pelo menos esse a gente já conhece”. Tensão essa que é fruto daquele momento histórico quando confiscaram a caderneta de poupança dos pobres. Todo mundo se vale daquele que é o “menos pior”. Quando este é ainda extremamente ruim.

Na realidade, ainda estamos em plena monarquia! Desculpem. O tal Marechal Deodoro da Fonseca só deu uma maquiada nos fatos.

Por aqui ainda temos os reis, os nobres, a burguesia e o povão sofrido.

Os reis são os que governam hoje (só cresceram os números de coroas para o nosso desespero). Os nobres são os que governaram ontem e não largam as tetas da Pátria amada, somado aos juízes, altos funcionários públicos, fiscais, etc. A burguesia é quem a duras penas, injeta efetivamente o dinheiro nesse país e o povão… Nem preciso explicar, não é?!

A nobreza ainda consome muito mais riqueza do que produz. A burguesia produz muito mais riqueza que consome e o povão… Nem preciso explicar, não é?!

Mudou alguma coisa da sua vida desde aquilo que foi registrado nos livros de História do seu primário? Só se você teve o privilégio de, por um motivo ou outro, ter abocanhando sua teta na nobreza.

Somos saqueados todos os anos.

Quem recebe R$2.000, deixa 35% de impostos diretos e indiretos à nobreza. E ainda tem que pagar escola, plano de saúde, tudo o que esses impostos deveriam nos devolver, mas cai no esquecimento. O que te deixa em caixa R$700,00 para comer, vestir… Lazer? Pode esquecer! A menos que seja um rateio de R$10,00 entre a plebe sua amiga, você vai ficar em casa vendo a vida passar pela janela ou reunindo forças pra quando o feriado acabar você conseguir enfrentar a dura rotina de entregar o seu ouro a uma quadrilha em Brasília.

De toda forma, Mal Deodoro (não podia haver jeito melhor de abreviar isso) obrigada pelo dia de folga. Ao menos a monarquia aboliu parcialmente a escravidão.

Falando nisso… Acho que hoje em dia só mudou a classificação de Povão/Plebe pra bobos da corte… Já viram classe social pra perder mais e rir na mesma proporção?! 

1 comentário

Arquivado em Política interna

Uma resposta para “Proclamação de Onde?

  1. INANISIO MARINHO ANTONIO

    Adorei a mensagem e realmente é um motivo muito justo para poder-mos refletir e ver o que podemos fazer para que essa população sofrida, deixe de se vender por pouca coisa ou nada,pois afinal, irão amargar mais quatro anos de dificuldades e eles ficando cada vez mais ricos.
    Felicidades!!!
    Anisio Marinho – RIO / ESTÁCIO / N. IGUAÇÚ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s