Nada mole vida

Na última sexta-feira (dia 09/12) me envolvi num acidente de trânsito.

Sim, a babaca aqui colocou o seu carro a serviço da empresa e, como de praxe, se deu mal. Fui a uma reunião em um hospital na zona sul. Estava na Real Grandeza, o sinal estava verde, eu passei, mas fiquei engarrada logo à frente. Meu carro ficou com dois pneus sobre a faixa amarela de “não feche cruzamento”.

Beleza. Todo mundo faz isso. Até porque Lei de Trânsito aqui na frente é: esteja desde a habilitação provisória ciente de que se não ceder ao buzinaço pode acabar com uma bala no centro da testa ou sabe lá Deus o que se pode sofrer. Andei alguns poucos metros e fiquei lá… Parada pouco antes da esquina.

O sinal da rua transversal (Mena Barreto) abriu. Uns motoqueiros vieram disputando espaço, naquela loucura que quem dirige conhece bem. Um deles, não sei se derrapou ou se não me viu (estava chovendo), bateu no meu carro, voou longe…

PAUSA: Reparem a ilustração do Google. GERAL COMPLETAMENTE EM CIMA DA PORRA DA FAIXA AMARELA. Algum motoqueiro no chão?! Depois não querem que eu diga que tenho imã pro fracasso… Segue o post.

Susto. Perrengue de braite, delegacia… Cobrança do motoqueiro que, claro, não reconhece sua parcela de culpa e agora me cobra R$4.036.

Digo parcela de culpa, porque, assim… Eu me sinto parcialmente responsável, afinal de contas estava com um pedaço do meu carro sobre a faixa amarela, passado já do meu sinal, embora não o tenha avançado. O estabaco dele, sinceramente, foi imprudência dele.

Porém, não há testemunhas em nenhum dos lados. É minha palavra contra a dele. Tirei fotos do local, mas como eu disse, querendo ou não estava fora do meu lugar e aí, que… Legalmente, sim, posso ser responsabilizada; E pra não encarar os transtornos de uma guerra judicial, porque também não tenho dinheiro pra manter um advogado, estou me virando para saldar ao menos 50% do orçamento do motoqueiro (fora o meu prejuízo que também já arquei sozinha).

PAUSA 2: Eu apenas no início da faixa amarela e A PORRA DA MOTO SURGIDA DO NADA EMBAIXO DO MEU CARRO. ÓDIO!

Vamos a Conclusão?

Não posso pagar prestação de empréstimo pra saldar a dívida do trânsito e ainda comprar o presente do Gustavo. Duas prestações altas quando pagar apenas uma era em si um sacrifício gigante.

Noite feliz pra quem?!

1 comentário

Arquivado em Cotidiano

Uma resposta para “Nada mole vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s