Arquivo do mês: fevereiro 2012

Ando sem gosto

“Ninguém banha-se duas vezes no mesmo rio porque nem a pessoa, nem o rio serão os mesmos. As águas passam e a pessoa muda e, ao banhar-se novamente no mesmo rio, trata-se de outra pessoa em novas águas” – Heráclito de Éfeso.

Pois é. Antigamente eu era movida de um prazer imenso de registrar tudo o que me acontecia pela rede. Por conta disso, assinava vários blogs pelo mundo virtual. Depois, fiquei só com este para que me servisse como um portifólio (depois veio o Mulheres para eu despejar os meus devaneios femininos) caso algum novo contratante quisesse atestar que realmente sabia escrever sobre diversos temas, em períodos regulares, etc.

Esse novo contratante nunca chegou. A minha carreira está cada dia mais estacionada, por mais que eu reme no sentido contrário. E, de alguma forma, ter a certeza que as pessoas não comentam, mas me vigiam como em um Big Brother, e quando menos espero me atiram na cara suas impressões sempre tão distorcida das coisas… Sei lá, me fez preferir guardar pra mim as minhas coisas.

Claro que quem mantém um blog é pra ser visto e lido, mas não atingi os objetivos que tinha outra hora, me parece que jamais chegarão trilhando a mesma linha de raciocínio. As águas já são outras e eu… Essa metamorfose ambulante. Acho que hoje não tenho nada a dizer ou perdi o gosto de fazer isso pelo blog.

3 Comentários

Arquivado em Cotidiano

Monstrópolis é aqui

A vida ensina. E como ensina. Certas vezes nem precisa você ser vidente para prever um futuro não muito longínquo. Basta estar atento aos sinais. Eu estive. E se quem avisa amigo é, imagina se como filha me eximiria de dizer o famoso “cuidado”. Eu disse. Disse várias vezes. Não adiantou. Minha mãe simplesmente adotou mulher e filha do meu primo sequelado.

Ter que dividir com ele um espaço, porque assim a vida nos reservou como espécie de carma, foi inevitável. Já confraternizar ou abrir brecha para ele transformar a nossa vida em um inferno (com o consentimento dela) já era uma outra coisa totalmente evitável que eu adverti, implorei, e por fim, fui obrigada a dizer: “eu bem que avisei”. Tem gente que merece ouvir isso.

E ainda assim, fica a certeza que ela não aprendeu nada. Há de passar por uma recuperação na escola da vida. Espero só, desta próxima vez, não ser coadjuvante disso. Como diz uma amiga minha, eu sou apenas uma, no singular e não no plural. O que quer dizer, que não dá mais para absorver o problema dusôto.

Quer entender mais? Clica ae:

1 comentário

Arquivado em Cotidiano

Carnaval Glo-QTristeza

Enfim, passou o último dia de transmissão das escolas do Grupo Especial do Rio de Janeiro e, junto com ela, o festival de absurdos de Glenda Kozlowski e Luis Roberto. A queridinha da Rede Globo (que assim como Tandy que caiu nas graças da emissora, nem jornalista é, diga-se de passagem) tem sim, seu carisma no esporte, mas não se pode misturar alhos com bogalhos, já dizia a vovó.

Não tem jeito: para se fazer bons comentários é preciso estar inteirado do assunto. Quando eu era estagiária de rádio, em um programa exclusivo de samba, locutores, produção, equipe de reportagem e comentaristas, eram profissionais que respiravam Liesa. Sabiam da história de cada carnavalesco, entendiam a comunidade, gostavam de samba, acompanhavam cada carnaval, ano a ano, de dentro dos barracões.

Aliás, fica a dica para a Globo: próximo ano, coloca um ponto no ouvidinho dos jornalistas sintonizado ao João Estevam, André Ricardo, Rodrigo Campos entre outros que marcam presença na Sapucaí há tantos anos que falam de escolas de samba como se fossem vizinhos da equipe de carnaval. Ou então, tragam os Vanucci de volta… Porque, sim, ele até podia se atrasar e comer biscoitos, mas ainda assim fazia como ninguém o papel dele durante os desfiles.

Foram muito espaços vazios na programação, sem ninguém ter absolutamente nada a dizer, deixando inclusive passar em branco o desfile de artistas da casa, simplesmente porque ninguém sabia o nome (?). Se o problema não for exatamente empatia dos âncoras, mas falta de gente na produção,estou aqui, viu, Rede Globo?! Sangue novo. Super esperta em TV, noveleira de plantão… Esse tipo de gafe comigo, não. Há pelo menos 17 mil currículos meus na emissora, vamos acordar!!!!

E nem vou jogar todas as minhas pedras na apresentação, não. O Camarote Globeleza também deixou muito a desejar. Me digam:

1-      Que insensibilidade foi aquela de mostrar a nota 8,9 do público na frente do Renato Sorriso que havia acabado de sair da Avenida?!

Deselegância define.  

2-      E os comentários de Haroldo Costa?

Haroldo Costa, qual a sua opinião sobre a São Clemente?
– Lindíssima, belos carros. O carnavalesco teve muita sensibilidade
Haroldo Costa, qual a sua opinião sobre a Portela?
– Lindíssima, belos carros. O carnavalesco teve muita sensibilidade
Haroldo Costa, qual a sua opinião sobre a União da Ilha?
– Lindíssima, belos carros. O carnavalesco teve muita sensibilidade

O cara pode ser ligado a Produções Artísticas e tudo mais, entretanto, quando o assunto é carnaval… Não tinha ninguém pior disponível na data, não?!

Nós que estamos em casa por pura falta de opção, sem grana, apesar de ter estudo pra cacete pra estar no lugar de um cara desses,  vendo esse tipo de coisa… Morre de desgosto!!!

2 Comentários

Arquivado em Entretenimento

As amigas da mamãe

Sabem aquela coisa: Pai, mãe, irmãos a gente não escolhe. Já os amigos… Esses só estão perto de você por absoluta afinidade. Minhas amigas não poderiam ser nada diferente de mim. Aliás, nunca vi tanta semelhança, por exemplo, na vocação para falar besteiras picantes. Em uma dessas, fiquei com a cara grande no aniversário do Gustavo. Ok. O erro foi meu que não avisei que o celular estava no Viva Voz.

Querem Rir?

Clica ae na imagem…

1 comentário

Arquivado em Besteirol

Homenagem ao Gustavo

Foi amplamente divulgado nas mídias sociais, mas como amor de mãe não tem limites… É bom comentar também no blog a minha satisfação (e orgulho) em ter trazido ao mundo um cara tão bacana.

Aos 12 anos, o Gustavo se transformou em um rapazinho de graça sofisticada, de sarcasmo inteligente. Cumpre suas responsabilidades escolares aparentando até certo prazer. Continua com seu relógio biológico notívago… Assim como quando nasceu ele conseguiria fácil trocar o dia pela noite se assim autorizássemos.

Ontem encaramos uma corrida de Kart até 23h, achei que a “missão aniversário” tinha sido encerrada nesse ato supremo do pódio, diferente dele, a mamãe aqui não tem férias, trabalhou arduamente o dia todo, o corpo quase já não respondia mais as suas funções vitais… Entramos em casa e ele dispara: agora precisamos inaugurar o meu presente. E toma-lhe de partida de War até às 4 da madrugada…

“Gustavo, pelo amor de Deus: Checkmate! Eu me rendo” – E espalhei todas as peças do tabuleiro.
“Mãe, meu objetivo era dominar a América do Norte e a Oceania, não te matei porque não quis. Estava curtindo te ver se debatendo”.

Bom… Talvez não tenha criado um cara tão bacaninha assim.

1 comentário

Arquivado em Cotidiano

Mais tarde eu falo!

Pessoal! (?)

Como estou trabalhando feito mula (não me mande agradecer aos céus porque não estou ganhando pra isso e, portanto, me dou ao direito de ficar Fê da Vida, sim) , não estou com o horário muito tranquilo,nem com vontade de ficar mais tempo do que já tenho passado em frente a um computador,  por isso as atualizações estão mais atrasadas que o habitual. Mas não desisti de postar, não. Até porque minhas atualizações por aqui tem um objetivo de portifólio (ou simplesmente mostrar aos empregadores que sei minimimante escrever) :)

Ou seja, calma que já já subo o post novo! Até porque irritações não me faltam! (beijo pra você que acha que eu reclamo de mais e leva meu personagem pra cama)

Até!

Deixe um comentário

Arquivado em Besteirol

Faz de conta que tudo vai bem

Nem tudo que reluz é ouro, nem tudo que a Globo diz é realmente imparcial. Sou fã da emissora, todo mundo sabe disso, pelo respeito com que ela trata os profissionais de Comunicação e também queria ter minha vaga lá para contar algumas mentirinhas (isso todo mundo também já sabe) para o povo também. Não é disso que estou falando.

O que vivo repetindo é que precisamos deixar de ser alienados e já passou da hora disso acontecer. Esse tal “clima de paz” que estão pregando por ai é farsa, gente.

Conversando com alguns amigos, fiquei sabendo que, em Niterói, houve arrastão em Piratininga, motoristas voltando pela contramão… Sim, aquele lugarzinho pacato que Deus protege sobre a terra. Em Icaraí, aconteceu pancadaria em blocos, ônibus apedrejado e tiros.

Já no Rio, o resultado desse pré carnaval com greve da PM/Bombeiros, que todo mundo está achando que está sob controle, é um mundo de feridos no Souza Aguiar e em outras unidades da Rede Municipal, algumas mortes… Policiamento muito reduzido, sim, em muitos blocos se analisarmos a quantidade de foliões por metro quadrado.

Bem, como é que o Cabral faz para mostrar apenas o lado bom da coisa a gente aprende na faculdade (Pois é, vocês pensam que jornalista vai a faculdade apenas aprender a fumar maconha, mas não é, nem nunca foi por ai): Falar a verdade, que NÃO HÁ POLICIAMENTO E ESTÁ TUDO ENTREGUE A BANDIDAGEM, vai ferir os interesses do GRANDE patrocinador: O governo em todas as instâncias.

“A BOA” do carnaval é ficar em silêncio. Caso contrário o produto que mais investe em comerciais não vai conseguir vender sua imagem de lugar ideal para seus turistas, tampouco conseguiram com a Copa e as Olimpíadas abocanhar mais cifras astronômicas, dessas que nós, pobres mortais jamais aprenderemos sequer a ler em um extrato bancário. E isso, ninguém quer, claro.

Melhor pra Globo é não dizer nada. Melhor pro Governo é continuar divulgando que não sabe de nada. Melhor pro povo é que o Carnaval não pare. Você finge que fala a verdade, a gente finge que acredita e isso há mais de 500 anos.

Deixe um comentário

Arquivado em Política interna