Olho no rótulo

Era uma vez uma jovem gatinha, que acorda uma jovem senhora 12 kg mais gorda e se desespera. Nada mais lhe cabe em seu guarda roupa. E neste anúncio de hecatombe lembra-se que hoje trabalha em um hospital. E sendo colega de nutricionistas, médicos e farmacêuticos, respira fundo, procurando focar apenas na solução do seu problema (e não no desespero).

Desespero? Rá! Ainda tem muito pesadelo a viver.

Você presta atenção naquele quadradinho do rótulo dos famigerados produtos prontos/ semi-prontos que salvam a sua vida no supermercado? Sim, ali onde estão escritas as coisas que contém na caixa, no pote, na lata ou no pacote?

Eu também não.

E por conta disso, meus amigos, vamos comendo gato por lebre. Junto com os alimentos que consumimos existem vários componentes químicos tipo corantes, acidulantes, estabilizantes, espessantes, aromas disto e daquilo e traços de coisas que você nem suspeita. Todos estes ingredientes adicionados aos produtos servem para eles durarem mais tempo ou ganhem um aroma ou cor que estimula o nosso apetite. Vilões. Todos eles são do mal.

A primeira coisa a reparar no rótulo, além da data de fabricação e validade é nome do primeiro ingrediente da lista do que cada coisa contém. Porque o primeiro é o que tem mais naquele tipo de alimento. O caso do açúcar, por exemplo, é muito sério. Para nós que queremos, quer dizer, precisamos desesperadamente emagrecer o danado do açúcar pode estar disfarçado em sacarose, glicose, glucose, caramelo, melaço, xarope de glicose, xarope de milho, açúcar invertido e açúcar de confeiteiro. Isso tudo é uma coisa só, aquela que você quer fugir: o açúcar.

Não é paranoia, não. O caso é muito grave. Tem barrinha de cereal, disfarçando, quatro tipos de açúcar. Tá bom pra você? A gente se achando muito natureba e equilibrada põe um monte, sem chocolate na bolsa, mastiga aquela comida de passarinho que na verdade é uma bomba para nossa saúde.

Sabe a salsicha? O primeiro item do rótulo pode ser carne mecanicamente separada de frango, e depois vem um monte de itens e termina com “aroma natural de fumaça”. Não está acreditando?! Vai lá e pega a embalagem. Este item aí a indústria obtém transformando fumaça em pó, para dar o gostinho de defumado.

Sabe os empanadinhos de frango que criança adora e salva nossa lavoura na correria do dia a dia? Ali tem pele de frango! Um veneno para as veias do coração.

Está tudo lá, escritinho, como manda a lei, mas em letra bem pequenina para cego não ver e com nome que a gente não conhece, pra destruir a nossa saúde.

Conclusão: A gente acha que está comendo pouco e não sabe porque está inflando como balão. Culpa exclusivamente o estilo de vida, o estresse diário. Mas a verdade é  que estamos bombardeando o nosso organismo com os corantes químicos, de nomes esquisitos.

Voltar a plantar e colher nosso próprio alimento?! Momento difícil! Volta o pesadelo ai, vai. Acho que vou morrer gorda mesmo.

1 comentário

Arquivado em Cotidiano

Uma resposta para “Olho no rótulo

  1. Cleto Guedes

    Um dia eu não tinha nada prá fazer, esperando o leite ferver, e resolvi abrir um pote novo de margarina, comecei a ler o que tinha dentro daquela coisa cremosa……Deuses, tem um laborátorio de análises clínicas ali dentro.
    Agora eu só como manteiga, com sal mesmo, com gordura e tudo. Como uma tablete dura uma semana, tô no lucro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s