Arquivo do mês: maio 2013

Plano de Saúde: A saga continua.

Depois de não receber uma resposta a contento para meu problema de falta de emergência pediatria próxima a minha casa pelo plano que pago há anos, voltei a entrar em contato com a ASSIM, questionando onde posso ser atendida nas especialidades ginecologia e oftalmologia.

Detalhe: Trabalho em um hospital do SUS, que não possui atendimento oftalmológico e não quero que um colega meu de trabalho me atenda na ginecologia. Problema pessoal meu! Quem é mulher sabe como é desconfortável ir a um ginecologista, imagina ter que se mostrar na intimidade para uma pessoa que você vai encontrar no refeitório na hora do almoço? Não quero!

Entretanto, não posso dizer ao meu chefe, que também é médico, que vou ter que sair mais cedo para ir a um consultório de ginecologia fazer exames de rotina porque não quero ser “invadida” pelo especialista que temos na casa. Ele, claro, vai vir com discurso que não tem nada a ver, que o sigilo do consultório e que o médico não vê paciente como mulher, etc. Ok. Concordo com tudo, mas não me sinto a vontade.

Portanto, preciso de um médico que me atenda aos sábados. E preciso logo. Primeiro porque estou ficando cega e tenho que renovar carteira de motorista logo no início do ano que vem, segundo porque preciso fazer o preventivo que tem séculos que não faço.

No entanto, quando ligo para as clínicas disponíveis no livro da rede credenciada a resposta é basicamente a mesma: me dão dia e hora para ligar e TENTAR o atendimento. Uma situação vergonhosa, visto que pago plano de saúde e, se faço isso, é para ter conforto e privilégio. Do contrário me despencava para um Posto de Saúde para “TENTAR A SORTE”.

Dia 25/05, às 11h26, relatei em um email toda esta “lenga-lenga”. Dia 27/05, às 17h21:

ASSIM 1

Dia 28/05, às 11:01:

ASSIM 2

Conclusão: Se está difícil para eles solucionarem meu caso, imagina para mim que tenho que trabalhar o dia todo e não tenho tempo de ligar para todos aqueles números?

Depois de quase dez dias me deram retorno marcando uma especialidade em cada sábado. Foi sofrido, mas vou conseguir usar esse plano de saúde pelo menos por hora.

3 Comentários

Arquivado em Descaso

Fazendo Arte: Convite de Casamento

Este foi meu presente de casamento para uma amiga muito querida. O casamento rolou em novembro/2012, mas claro, tudo deveria ser surpresa para os convidados, portanto, não havia como mostrar o mimo antes.

O convite foi impresso em “Papel Semente”. Isso mesmo. O papel é reciclado com sementinhas de flores. Então, quem recebe o convite, depois da festa, pica o papel, planta no vasinho e cuida para florescer. Afinal de contas, o que fazemos com esses convites enormes? Depois de um tempo param no lixo, é ou não é? Esse aqui, não. Será para sempre uma lembrança daquele dia especial, sem contar que é também um brinde a natureza!

 

Convite Érica GustavoII

Deixe um comentário

Arquivado em Promoção

Indecisão

Homem reclama de mulher que tem nojinho no sexo. Mas e a recíproca? Está rolando ai na sua casa? O Bruto tem “pegada” ou não sabe onde coloca a mão (e o resto)? É isso mesmo. Hoje vou reclamar de sexo, mas claro, esse tipo de polêmica é um trabalho para o “Mulheres à la carte”. Clica ai, vai.

 

mulheres2

1 comentário

Arquivado em Cotidiano

Fazendo Arte: Cartão de Visita

A missão era concentrar endereço e portfólio em 90X50cm.

Não gosto! Faço aquela linha clean desde sempre. Mas algumas vezes é um mal necessário concentrar informações. Vá lá. Acho que consegui atingir o objetivo e, apesar disso, não deixar tão pesado o olhar.

Cartão Gentil

Falando nisso: A partir deste trabalho, fiz uma parceria com a Del Rey carimbos. Se vocês se interessarem pelo meu trabalho de artes visuais ( estiverem no RJ, claro), podem ligar para os números deste cartão, porque a partir de agora, quem faz as artes para eles é a menina aqui. =)

Cartão de visita, imã de geladeira e, claro, carimbo que a arte não é minha, mas recomendo o trabalho.

1 comentário

Arquivado em Promoção

Apagão

O menino lobo não toma banho, quando toma, não passa o desodorante. O menino lobo não faz a barba, não depila o púbis, não tira os pelos das axilas e, se não faz isso e não passa desodorante no calor dos trópicos… Preciso descrever? Menino lobo, descendente de paraibano, não corta ou lava o cabelo (afinal de contas, mal toma banho).  Escovar os dentes, menino lobo, quando o faz é uma vez só ao dia.

fedo

Para civilizar o menino lobo, oferecemos recompensa positiva. Ensinamos uma, duas, três vezes a necessidade da boa higiene… Escolha o sabor da pasta, o perfume do shampoo, do desodorante… Olha que bonito o barbeador elétrico que ganhou!

Não. Nada é incentivo.

Aumento de mesada, vai? Você me mostra que é capaz de viver na sociedade, com respeito por nossas narinas e lhe damos papel moeda realizador de sonhos.

Não. Também não é incentivo.

Esta noite menino lobo foi ao cinema. Na sala ampla, com ar condicionado, o odor impregnou o ambiente, mas vamos considerar que é qualquer coisa na sala. Entramos no carro e… UAU! A sensação foi de ardência.

– Sinto muito! Não dá para ir a restaurante japonês, tudo fechado, com você neste estado. Vamos voltar pra casa:  cortar os pelos do braço, banho com sabonete bactericida e muito desodorante.
– Ah, não vou mesmo! Depois que entrar em casa não saio mais.
–  Qual é, cara? Você vai acabar com o sábado da gente?
– Não vou é em casa tomar banho.

Se menino lobo desconhece as regras básicas de convívio em sociedade, não pode também saber/querer/entender de computador. Nada de computador até que aprenda a se comportar como gente civilizada que, além de acessar a internet, também cuida da higiene e se importa minimamente com as narinas alheias. Ah, sim, e principalmente que não enfrente a mãe na frente dos outros. Tudo é muito engraçadinho, mas respeito é bom e eu (e minhas narinas) exigimos.

Talvez ele aprenda com reforço negativo, já que com o positivo foram todos tiros n’água.

2 Comentários

Arquivado em Cotidiano