Pela Hora da Morte

Gente, alguém tem uma fórmula para sobreviver ao Rio de Janeiro?! Sim, porque cada dia que passa tenho a vida mais comedida para caber no meu orçamento e, na contramão, as contas não cabem no meu bolso. Em contraponto, não há fiscalização (e quando há, os fiscais corruptos, só pensam em receber suas cocadas e mariolas depois da vistoria), de forma que os patrões são cada vez mais injustos no uso da nossa mão de obra, enquanto os preços não param de subir.

Passou a fase do tomate, agora é o feijão que assusta: praticamente dobrou de preço. Mas não é ele o único vilão, infelizmente. A todo instante aumenta o tamanho do prejuízo. Fui ao supermercado rapidinho, apenas comprar aqueles supérfluos para o meu “adolescente draguinha”… R$84,00. OITENTA E QUATRO por duas sacolinhas de guloseimas. Não dá nem para 15 dias.

carrinho-de-supermercado-1

E, não pense que é porque está caro que o serviço é bom, não, viu?! Olho na prateleira! Nos últimos 20 dias, o Procon Carioca multou várias redes de supermercado em diferentes pontos da cidade. Dos estabelecimentos de luxo a  locais mais populares, em todos eles, havia produtos estragados. Na Ilha do Governador, foram encontrados 360 quilos de alimentos impróprios para o consumo. Em São Conrado, 132 quilos. Nos dois casos a multa foi de R$ 46.123,80. Quem paga essa conta? Nós mesmos. Porque tudo volta ao normal (será por quê?), ou seja, os produtos vencidos voltam as prateleiras. Claro! Eles precisam da compra dos desavisados para não perderem.

Ninguém quer perder nada no Brasil. Exceto o povo. Sim, porque, como é que sobrevive a esta maré, como se nada acontecesse?! A cada dia a gente (povo) perde em qualidade de vida, quantidade de consumo, soma em sufoco… Pagode e feijoada, gente, não é boa vida pra ninguém! Boa vida é outra coisa… É receber seu pagamento e, com disciplina poder fazer tudo, até o pagode e a feijoada, com espaço. Pra se fazer festa, meus caros, vocês estão perdendo em rotina. É desesperador!

Protesto não é vandalismo, não. Detesto vandalismo. Está na hora da gente aprender a ser democrático, lutar por nossos direitos. Lutar contra os desmandos. Dormir uma noite tranqüila sem pensar em como fazer surgir mais oitenta e quatro Reais para as comprinhas da próxima semana.

2 Comentários

Arquivado em Cotidiano

2 Respostas para “Pela Hora da Morte

  1. malbergarias

    Ah amiga, a gente continua remando contra a maré.
    Ou a gente muda, ou a gente muda!
    Não adianta esperar. Façamos nós a mudança.

  2. Silvia Thees Castro

    Fê, se vc descobrir como fazer surgir esses oitenta e tantos reais, me ensina…
    Infelizmente já tenho o espírito velho o suficiente para ter esperança que essas manifestações populares resultem nas transformações necessárias para mlehoria do país.
    Seguindo, fazendo o melhor possível para, no mínimo, não atrapalhar a vida de quem está perto de mim…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s