O despertar do Guerreiro

Vinte centavos? Não. Digamos que foram os últimos vinte centavos que quiseram nos roubar a gota d’água para o povo tomar as ruas do Brasil. Coisa mais linda de se ver!

Um mundo de gente “Fê da vida” tomou a Cinelândia gritando: “Olê, olê, olê, se a passagem não baixar, o Rio, o Rio, o Rio vai parar”, “vem pra rua, vem, vocês também”. Os prédios do Centro do Rio viraram verdadeiros piscas-piscas gigantescos em sinal de apoio e uma chuva de papel foi surgindo… Senhores, eu vivi para ver o Brasil acordando e ainda nem posso acreditar nisso.

Eu nasci no final da Ditadura Militar e, pude acompanhar pela TV o povo se movimentando em Diretas Já. O Hino Nacional se cantava acalorado, ávido por mudança, pelo direito a esta democracia que o povo até então, não sabia usar. Quando adolescente, vi o povo ir pra rua pedir o Impeachment do Collor, mas de verdade? Nunca me pareceu um movimento do povo para o povo, como aqueles noticiários que vi quando criança. E, já na faculdade, tive a certeza da grande orquestra partidária que comandou a queda do então presidente.

Fonte: O Globo

Fonte: O Globo

Mas esta semana eu acordei com o povo marcando pela internet os pontos estratégicos, pedindo a cor branca em apoio, mesmo para quem não pudesse ir. E eu usei branco. E chorei por este ato democrático, pela esperança de que agora terei um país que realmente não foge a luta e não se cala com os desmandos.

E eu que tantas vezes disse que nosso Che Guevara sairia da Internet, presenciei um movimento apartidário, sem liderança definida. Apenas um monte de gente de saco cheio de ser oprimida, resolveu gritar pro mundo inteiro “chega!”. E, de maneira inteligente, articularam isso na Copa das Confederações, quando a imprensa internacional está aqui dentro do país, aguardando as atualizações.

Claro que teve quebra-quebra, saque, furto… Assim como não se muda a política da noite para o dia, o povo daqui também não ia mudar. Tem muita gente que espera o pretexto de se dar bem. Não seria diferente agora. Enquanto milhões falam de justiça, uma centena quer ainda se dar bem. Desculpem os transtornos! Tem muito a que se mudar neste país, até a filosofia de “jeitinho brasileiro do povo”. Isso demanda tempo. Demanda força. Demanda o prejuízo de alguns. Mas se tudo der certo, será por um bom motivo.

Que o mais importante não se esqueça: O movimento começou na internet, ganhou as ruas e terminará na urna eletrônica. Não vamos votar em ninguém que queira se reeleger ou que já cumpriram mandato em alguma época. Está na cara que nenhum destes nos representa, de outra forma, já teriam usado suas oportunidades para fazer diferença. Agora, sim, estamos de olho.

Deixe um comentário

Arquivado em Política interna

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s